Sigam o blog

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Resenha: Death Note


Introdução

Death Note (2006) é um anime cujo foi uma adaptação de uma série de mangá escrita por Tsugumi Ohba e ilustrada por Takeshi Obata. O desenho foi desenvolvido no estúdio Mad House com a direção de Tetsuro Araki .

Muitos mais que um anime com ambientes de seres com poderes mágicos, batalhas contra o bem e o mal e enredos que fogem da realidade, o anime Death Note trabalha com fórmulas que retratam assuntos filosóficos dentro do nosso cotidiano de modo psicológico. Fugindo dos gêneros clássicos, a série de mangá transformada em anime, trabalha com assuntos que possuem uma enorme distinção das categorias “perseverança, companheirismo e vitória”, abordando assuntos políticos, sociais, culturais, religiosos num eixo de guerras psicológicas com um enredo criativo, instigante, possuindo diálogos e desenvolvimento de forma muito inteligente.

Por isso, o anime Death Note possuiu tanta repercussão e interesse, destacando-se dos diversos animes já criados. O desenho japonês possui um gênero que consegue prender do começo ao fim a atenção até dos leigos que não são próximos deste estilo.
A partir de um breve resumo da história deste anime, será descrito e analisado alguns dos componentes chaves do anime como o anti-heroismo do protagonista, as funções relevantes do antagonista, a secundidade posicionada na clássica linguagem dos animes e alguns conceitos de semiótica inseridos na série. 4


Historia

No começo da trama, surge um mundo obscuro com terra seca, um clima deprimente e vazio. Uma espécie de submundo (semelhante a idéia de um purgatório), onde vivem monstros denominados Shinigamis (死に神 - deuses da morte).

Voltamos para a terra e vemos Yagami Raito, um típico jovem estudante japonês com um nível altíssimo de inteligência. Com seus 17 anos, o garoto é considerado o melhor estudante do Japão. O protagonista possui sua vida monótona de ir para escola, casa e cursinho, se excluindo da vivencia social. Recluso sobre tudo o que cerca, Raito leva uma vida tranquila e se questiona sobre o mundo que vive, acreditando não haver solução no mesmo, enxergando-o como um lugar caótico, violento e sem esperança e que, em suas palavras, ele diz estar “podre”.


Sua vida muda completamente quando cai do céu um caderno negro sob o chão. O garoto olha o mesmo e vê em seu título escrito Death Note (デスノート - caderno da morte). Raito fica surpreso, abre o caderno e encontra instruções de como usá-lo.

Nas citações diz que qualquer nome de alguém escrito dentro daquele caderno, morrerá em quarenta segundos de um ataque cardíaco, caso não seja especificado a causa da morte. Para surtir efeito, é necessário que o portador consiga visualizar mentalmente sua vítima. Para que, desta forma, pessoas homônimas não sofram os mesmos efeitos. Inicialmente, o garoto é cético sobre o poder do caderno.
Para confirmar sua teoria de que tudo é uma armação, ele decide experimentá-lo em um momento oportuno: 

No noticiário 5 da TV, um bandido dentro de uma escola mantém crianças como reféns. Raito escreve o nome do criminoso, e em exatos quarenta segundos, o criminoso morre e ele descobre que o caderno é real. Depois de mais um experimento para assegurar que o poder do caderno é verídico (desta vez especificando a causa da morte), o protagonista entra em conflito consigo mesmo, acreditando ser um assassino. Raito toma consciência do que fez, acreditando ter feito uma boa ação para sociedade.

Desta forma, ele consegue encontrar um verdadeiro propósito em sua vida: transformar o mundo em um lugar melhor, banindo todo o mal existente nele, aniquilando todos os tipos de criminosos existentes. Raito sente que é o único ser capaz de julgar o mal e se nomeia como um Deus com o propósito de criar um novo mundo.

Depois de criar uma carnificina, Raito se depara com Ryuk (リュク), um shimigami que diz ser proprietário do caderno. O mesmo diz ter jogado na terra de propósito porque estava entediado com seu mundo. Ryuk diz que uma vez que o caderno cai no mundo humano, ao mesmo pertence. O preço que o portador humano do caderno paga é que nunca irá para o céu e nem para o inferno, além do tormento e terror de possuir uma arma letal.

Raito não muda seus princípios sabendo das consequências, tomando a decisão de continuar sua “limpeza” de justiça, deixando sua marca e evidencias em seus atos com o objetivo de todos saberem de sua existência nomeando-se o “deus do novo mundo”.

Não demora muito, até suas ações serem notadas pelas autoridades, que observam a quantidade de mortes misteriosas 6 de presidiários causadas por ataques cardíacos. E a partir deste momento que surge nosso antagonista, o detetive L (エル).

L é o melhor detetive do mundo. Ele encontra uma difícil tarefa em desvendar e capturar Raito, que é nomeado como Kira (キラ), nome derivado da pronúncia japonesa do inglês para a palavra assassino (Killer) para os que não sabem sua identidade.

A partir deste desfecho de ações inicia-se uma guerra psicológica entre dois seres de inteligência super elevada, um com interesse de sucumbir o outro. Dentro de um mesmo contexto, cada um tem sua crença de senso de justiça. Afirmando, ambos, SEREM a própria justiça.


Olá a todos, eu sou o novo colaborador do site Eterna Busca. Meu nome é Rafael R.L. Lovestain, e este é o meu post de introdução, aqui, no blog. Sou um apaixonado pela série. E devido a isso, nada mais natural que minha entrada seja marcada pela entrada também dele, o anime Death Note.
Este post terá continuação, em breve trarei o perfil dos personagens com uma análise aprofundada sobre cada um.
Deixo um grande abraço a todos vocês, de seu novo amigo
Rafael L.R. Lovestain

P.S.  Visitem também meu blog Circulus Pagaunus, será um prazer recebê-los lá também.

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Origem das Bonecas


Alguns brinquedos fazem parte de nossa cultura há tanto tempo que se tornaram banais. Pouca, ou nenhuma importância, damos a eles. Por exemplo, as bonecas, tão presentes na vida das meninas, e na de alguns meninos também, porque não?, vocês sabem a origem delas?

Histórias das bonecas 



A palavra boneca vem do espanhol “muñeca”, sendo considerada um dos brinquedos mais antigos e populares do mundo. Tradicionalmente ela reproduz características femininas e infantis, e é tratada por muitos como um prelúdio para a maternidade.

Mas elas não são um luxo unicamente dos meninos, há também as versões para os meninos. Em ambos guardam os traços característicos das bonecas, a forma humanizada delas.

As bonecas já existiam desde a Pré-História, porém não deixaram vestígios, a explicação seria dada por elas serem feitas em madeira ou couro, materiais perecíveis, que não resistiram ao tempo.

As mais antigas situam-se nas civilizações Babilônicas e Egípcias, datadas entre os anos 3000 e 2000 a.C. Na civilização babilônica foram encontradas bonecas em alabastro, que possuíam articulações. Nos túmulos egípcios era comum colocá-las paras as crianças mortas.
Bonecas Egípcias de diversos materiais
A opinião dos estudiosos diverge quando se trata do porque destas bonecas estarem nos túmulos. Segundo alguns, elas serviriam para que as crianças brincassem com elas no mundo do Além, já outros dizem que aquelas bonecas estavam colocadas ali com propósitos mágicos, entre eles o de servirem ao morto na outra vida.


Esta prática, de colocar bonecas nos túmulos de crianças, se estendeu a Grécia e Roma também. Na Grécia, havia um ritual de passagem, em que a jovem deixava a sua fase criança para trás e seguia para a vida adulta, simbolizada pela entrega de suas bonecas e outros brinquedos, nos rituais precedentes aos casamentos, em que estes eram entregados a deusa Ártemis. Rituais semelhantes aconteciam em Roma.


As bonecas no Japão



No Japão a data de 3 de março é comemorada com muito festejo e alegria. É a data de expor a coleção de bonecas da família, em belíssimas exposições. Elas são chamadas de Ningyoo, sendo muito mais que meros brinquedos infantis.

Durante o período Heidan (794 - 1185), elas foram usadas para afastar os demônios. E por isso, nesta data expõem-se as bonecas, dispostas em sete andares, tendo cada um deles um significado.

Como o tema é muito interessante, vou deixá-los curiosos para saber um pouco mais, enquanto preparo um post só sobre o festival Hina Matsuri - 雛祭り , ou seja, Festival das bonecas.

                                


Assim que ele estiver pronto estará aqui.



Barbie


                                      


Não se pode falar de bonecas sem citar a elegante, versátil e bem sucedida Barbie, símbolo do feminismo e da infância de muitas e muitos. Ela já passou por, praticamente, todas as profissões existentes e, atualmente com 54 anos, tem um corpinho de vinte, ainda se faz muito presente.

A Barbie é uma criação de Ruth Handler, que assistindo sua filha, Bárbara, brincando com bonecas de papeis, teve a ideia de criar uma boneca adulta, muito pouco comum na época.



                    
Ruth, esposa de Elliott Handler, fundador da empresa norte-americana Mattel, nomeou a criação de Barbie, o apelido de sua filha Bárbara. Bárbara ainda tinha mais dois irmãos, Ken e Skipper, que também foram transformados em bonecos. Ken viraria o namorado de Barbie e Skipper a sua irmã.


Ruth encomendou ao designer Jack Ryan, no ano de 1958, a fabricação da Barbie, e no ano seguinte foi lançada oficialmente na Feira Anual de Brinquedos de Nova York, em 9 de março de 1959.


A Barbie sempre se adaptou a seu tempo, por isso nunca saiu de moda. Ela é um sucesso de vendas, marcada por seus números exorbitantes, milhões e milhões de exemplares vendidos.



Milhares de roupas, sapatos e profissões. Sem falar nas belíssimas edições de colecionador, edições limitadas, homenagens e tantas versatilidades. Tudo isso faz dela o brinquedo mais lembrado e vendido do mundo.


Bonecas de Porcelana 



Falar de bonecas, e não citar as bonecas de porcelana, seria quase um crime. Elas são lindíssimas, delicadas e muito semelhantes a pessoas. E causam arrepios em muitos, justamente por sua aparência.

Durante os séculos XVIII e XIX foi muito comum o uso de cabelos humanos para a confecção das  bonecas, que , mais tarde foram substituídos pela lã de mohair, obtida das cabras de Angora, um material que se tornou muito apreciado por sua suavidade, brilho e resistência.

Os cabelos da própria criança eram usados para fabricar as madeixas de suas bonecas. Por ser um objeto muito luxuoso e caro, e semelhante à dona, as pequenas afeiçoavam-se muito a elas, e quando morriam jovens, a boneca era enterrada junto com elas.

Atualmente as bonecas de porcelana continuam sendo um luxo, com preços bem salgados, e um sonho de colecionador.

                                         



As bonecas são um tema fascinante, se deixar, poderíamos ficar horas e horas conversando sobre elas. Mas temos que terminar alguma hora não? Mas para quem quiser ter mais informações sobre elas, deixo os links em que pesquisei para informações mais aprofundadas:

http://www.doqueelasgostam.com.br/artigos_barbie.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Boneca

http://www.japonesnapratica.com/2009/03/hinamatsuri/

Reencontro





Todos nós precisamos passar por mudanças para melhorar, sempre visando o maior benefício para todos. Estamos sempre em rumo das conquistas, de melhorias e por isso passei tanto tempo distante, daqui, do blog. E como acontece quando ficamos muito tempo fora, sempre temos novidades, e este também é o meu caso.

Durante o ano de 2012 aconteceram muitas coisas, muito boas, por sinal, e devido a tais fatores permaneci distante do blog. Porém, neste ano de 2013 decidi retornar com força total a este projeto.

E para direcioná-lo a novos rumos, várias mudanças acontecerão. Como, por exemplo, não serei mais o único autor do blog, serei acompanhado por meu amado marido, uma das melhores mudanças deste ano. 

Juntos estaremos investindo na criação de um novo site, que se desenvolverá através do ano. E enquanto ele não fica pronto, investiremos em nossos dois blogs já existentes, A Eterna Busca e o Circulus Pagannus. Estaremos escrevendo juntos, ao longo deste ano. Para serem facilmente identificados os autores das postagens, todas elas serão assinadas pelo respectivo autor.

Todos nós precisamos passar por mudanças para melhorar, sempre visando o maior benefício para todos. Estamos sempre em rumo das conquistas, de melhorias e por isso passei tanto tempo distante, daqui, do blog. E como acontece quando ficamos muito tempo fora, sempre temos novidades, e este também é o meu caso.

Durante o ano de 2012 aconteceram muitas coisas, muito boas, por sinal, e devido a tais fatores permaneci distante do blog. Porém, neste ano de 2013 decidi retornar com força total a este projeto.

E para direcioná-lo a novos rumos, várias mudanças acontecerão. Como, por exemplo, não serei mais o único autor do blog, serei acompanhado por meu amado marido, uma das melhores mudanças deste ano.


Espero que possa sempre melhorar para, cada vez mais, agradar meus dedicados leitores, que mesmo com minha ausência, continuaram a visitar este blog. Por isso agradeço desde já a colaboração.

Uma última observação, com as mudanças a serem feitas, buscando o aperfeiçoamento, gostaria de pedir a todos, que caso queiram deixar sugestões de postagens, de melhorias, de correções, serão todas bem vindas.

Um grande abraço a todos.
De seu amigo,
Pallas.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe seu comentário pelo Facebook