Sigam o blog

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Relógio de areia


A Vida escoante
Pare e pense. São os últimos minutos de sua vida que serão definidos por um relógio de areia e cada grão da areia caindo é um minuto da vida passando. Já pensou em como foi sua vida?
Um belo questionamento, apesar de poucos pensarem nele, uma vez que exige muita reflexão e um olhar crítico, livre de máscaras forjadas para nos proteger de nossos medos, voltado para um eu não revelado ao mundo. A vida escoa a cada segundo e cada um desses segundos passados não há como voltar, não há como fazer o relógio retornar e, portanto, qual a razão de não apreciarmos os instantes dos quais nunca mais poderemos reviver, uma vez que já passaram? A vida é regada por maravilhas esquecidas, maravilhas deixadas de lado, pois são consideradas triviais, passageiras... Um exemplo dessa trivialidade é o amor.

O amor é um tema tão falado pela sociedade e ao mesmo tempo tão renegado por ela. Apesar de ser um assunto extremamente debatido ele não é praticado. As pessoas, sempre que o sentimento amor lhes vem à cabeça, se lembram do clássico amor romântico, onde a doce princesa espera seu príncipe resgatá-la da prisão. Essa face do amor é tão recorrente porque todos esperam ser salvos do vazio que toma conta de suas vidas conforme o tempo passa, o cavaleiro vem nos salvar das verdades deixadas de lado e nos levar a um mundo onde o final sempre é “viveram felizes para sempre”. Porém não vivemos um conto de fadas, além de termos poucas chances de encontrarmos cavaleiros em seus corcéis brancos dispostos a nos levar a seus castelos, uma vez que a era dos príncipes e cavalarias já passou. Um motivo para esse vazio que preenche a alma humana ao longo das eras e a faz ansiar pelo resgate é a falta da compreensão da amplitude do sentimento amor.
Vemos os poetas derramarem palavras apaixonantes nos fazendo suspirar por amores sonhados. Viver neste estado é o egoísmo humano do suposto apaixonado, aquele que em tudo vê traços do ser amado, a linda fase dos suspiros. Um dia os suspiros acabam e nos vemos em um meio estranho ao que sonhamos, uma realidade muito diferente dos nossos devaneios. E como lidar com esse egoísmo trazendo à vida as ramificações do amor, enraizando-as em um solo de próspera sociedade, que nos fará viver em um tão sonhado mundo feliz?

Amar é entregar-se, é o desabrochar do suave encanto do cuidado, de sempre buscar fazer o melhor para todos, pensar no mundo que nos cerca, uma vez que ele é o nosso lar, nossa casa. Esse lado do amor vem sendo suplantado por sentimentos nascidos do egoísmo, de mente ansiosas pelo poder, guiada pela ganância. Vê-se tantas guerras devastarem os povos, arruinarem a vida de milhões de inocentes e qual a razão de toda essa selvageria humana? O ser humano não se considera um ser racional e por esta razão superior aos outros? Então onde está sua superioridade quando devasta sua própria espécie?
Deixamos para trás as cavernas, estes grãos não deveriam voltar a contar o tempo. Os corações humanos necessitam de voltarem-se uns para os outros realmente, não apenas em sonhos, mas no real, no tangível, onde o toque é possível, onde a voz ecoa, onde é possível realizar gestos de carinho com os amigos, com a família, com todos que amamos. Ouvir ecoar pelo globo as palavras dos amantes, eu te amo, mas não como um eco,mas como a verdadeira canção do coração.
Ao podermos gritar a todos o amor que nos toma, poderemos, enfim, apreciarmos verdadeiramente cada instante da curta existência para a qual damos o nome de vida.


Resenha, Grande Sertão: Veredas



Grande Sertão: Veredas
João Guimarães Rosa

Ao lermos “Grande Sertão: Veredas”, de João Guimarães Rosa, conhecemos o mundo dos jagunços, a vida do povo do sertão. E a primeira coisa que chama a atenção nessa obra, é o vocabulário, são palavras recitadas pelo povo, com a grafia própria da fala, tudo para tornar mais realista e pungente este volume.
O sertão, belo e cruel, representa a vastidão e complexidade da vida. Nós, humanos, possuímos um sertão incrustado em nosso ser. Riobaldo é um exemplo disso, ele é áspero, mas possui a delicadeza da alma. Riobaldo possui uma alma atormentada, ele se sente diferente das pessoas ao seu redor, é um questionador, mostra muita das falhas humanas. Deste homem rude, nasce à flor da mais bela filosofia. E é a sua ânsia por descobrir mais de si mesmo, que o leva a contar sua história para um estranho, podemos contar nossos maiores segredos a desconhecidos, pois eles nos ouvem agora, e amanhã nunca mais os vemos.

É nos descortinado o mundo do cangaço, os sofrimentos de pobres seres à mercê de seus líderes, que aceitam a morte de frente por lealdade a suas metas. Vemos a forma de pensar do cangaceiro, suas guerras, o desejo de tornar o sertão um lugar melhor para se viver. Porém a morte de Joca Ramiro, uma sórdida traição, pelas mãos de Hermógenes e Ricardão leva o bando a uma caçada desesperada atrás destes traidores, conhecidos, a partir de então como Judas. Vários combates e mortes violentas vislumbram-se ao longo do percurso. Riobaldo explica a seu ouvinte como tudo chegou a este ponto, então passa a narrar sua vida desde pequeno.

Quando tinha quatorze anos Riobaldo conhece um menino de sua idade, olhos de um verde profundo, que o fascina. Anos mais tarde ele reencontra esse menino, agora um homem, e se junta a ele e ao bando de Joca Ramiro. Esse menino se chamava Reinaldo, e o fascínio que produzia em Riobaldo só aumentou.
                                                                                                                     
      Diadorim em série de Televisão

A amizade entre eles era muito mais do que simples   
       amizade, entre eles surgiu o amor de formar incontrolável. O centro dos pensamentos de Riobaldo passam a ser Diadorim, este é o verdadeiro nome de Reinaldo, porém isto o deixa perturbado e sem ação. Afinal Diadorim é um homem, isto, porém, pode não ser tão simples quanto parece. Esse amor é uma forma sublime dum sentimento praticamente inexistente nos corações incertos dos jagunços do sertão.
Este livro nos faz ver que a vida destes homens é mais do que meras batalhas, disputas, podemos ver suas angústias e frustrações. Riobaldo entende que a guerra traz mais guerra e o amor traz mais amor, tudo isso para um homem do sertão. Como ele mesmo disse; “Viver é um negócio muito perigoso...”.


segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Conto, A Estrela e o Homem


Estrela: Um dia vou ser homem
Homem: Um dia vou ser uma estrela
Um dia uma estrela surgiu nos céus, mais bela que o pôr do sol numa praia de diamantes onde sua luz se transforma em uma dança de jóias naturais, lapidadas pelos próprios diamantes. Esta estrela caminhava sozinha, se perguntando, por que ela? Por que ela era destinada a vagar sozinha pelo universo, quando em seu caminho ela via tanta felicidade e não estavam sozinhos... Então o que ela fizera para tanto, sem ninguém para amar, sorrir, compartilhar seus medos e desesperos, conquistas... Ela sempre seguia seu curso, sonhando com um mundo em que ela não fosse uma estrela, mas qualquer outro ser.
Sempre observando-a, seu rastro cósmico, banhado em mantos celestes e divinos, iluminada pela luz dos deuses perdidos. Sempre pensando em como gostaria de ser aquela estrela, sempre com rumo traçado, luz divina, nunca parar, deixar aquele mundo decadente e rumar aos céus em uma busca sem fim. Estar só com sua própria vida, sem que o mundo interferisse em seu curso pelo universo. Vivia um jovem imerso em medos e sonhos.
Em um dos recantos dos mais profundos e tenebrosos da existência a estrela encontrou uma fonte onde pôde ver todos os seus maiores sonhos realizados. Ela via-se como alguém feliz, alguém que fazia parte do mundo, que também sonhava, mas não estava sozinho.
Na verdade a fonte possuía o dom de ligar opostos, assim à estrela via um jovem, levando a vida de seus sonhos como estrela. E o jovem que sempre sonhou com a estrela todas as noites passou a ver seus sonhos de jovem, em ser uma estrela, realizados.
Tanto tempo permaneceram olhando um ao outro que não sabiam mais se viviam a realidade ou seus sonhos. E um dia a estrela bebeu da fonte. Aos poucos as essências dos dois vagaram pelo universo e trocaram de corpos e de existência.

Agora a estrela tornou-se o jovem e o jovem a estrela. Porém logo descobriram que as existências que sonhavam eram apenas sonhos.
Quando se realizaram, perceberam o quanto estavam enganados. E de todas as formas tentaram voltar às suas existências normais. O elo ente eles se quebrou. Não conseguiam mais ver um ao outro.
A estrela passou a observar os céus na esperança de um dia voltar a sua antiga forma, contudo como um mortal em que se tornou logo seu corpo definhou e levou consigo a estrela para o abismo da morte.
E o jovem, com seu corpo imortal continua a vagar pelo universo em busca de seu antigo corpo e existência. Ao contrário da estrela, sua consciência não é imortal, apesar de seu corpo permanecer intacto, sua consciência definhou e seu corpo continua vivo, apenas guiado pela ânsia do jovem por sua vida antiga.





Biografia, A Mãe de Harry Potter


J K ROWLING Uma Biografia do Gênio Por Trás de Harry Potter

 Um livro particularmente rico em detalhes sobre a vida dessa mulher extraordinária que deu a luz ao maior fenômeno da cultura do nosso milênio. Somos apresentados à vida da mulher por trás da escritora.
Uma garota gordinha e sonhadora que se tranca em casa para criar histórias e brincadeiras para seus amigos, os Potters, se tornou a inspiração para milhões de aspirantes a ser libertar de suas próprias agonias.
A mídia divulgou a história da mãe solteira - que levava a filha a um bar para escrever a história de um jovem bruxo - sem dinheiro para se sustentar e que se agarra a seu talento, que é escrever.
Nesta obra somos levados a conhecer as dores e tormentos que formaram essa mulher, a dor da perda de sua mãe, seu casamento perturbado com o jornalista Jorge Arantes. Seu desespero quando chega a Edimburgo com uma filha pequena para criar sem nenhum dinheiro e fugindo de um casamento que a arruinou, sua humilhação em não poder oferecer muitos brinquedos à filha e o olhar das outras pessoas quando ia buscar seu auxilio de mãe solteira. Tudo isso e muito mais nos é apresentado de forma cativante e envolvente pelo autor Sean Smith, pontuado por referência a outras obras e entrevista, algumas da mídia, outras exclusivas, mas um relato muito emocionante desta pessoa extraordinária.
A mulher que presenteou o mundo com Harry Potter merece nossa maior gratidão por nos legar uma obra singularmente rica e envolvente, desde o primeiro contato com a saga é impossível não se apaixonar e se levar pelo encanto da saga. A JK é igualmente fascinante, ela já sofreu dores terríveis e mesmo assim continuou e conseguiu conquistar o que lhe é de direito. E quando chegou ao topo não esqueceu suas origens continua a promover obras de caridade, pois ela sabe o que é estar nesta situação e se esforça para acabar com os tormentos das pessoas, na medida do que lhe é possível. Joane Rowling merece cada centavo que conquistou, pois ela é uma pessoa que mudou a vida de milhões ao redor do globo.    


quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Arte digital, o poder da criatividade, part II


Mentes criativas

Seguindo a postagem anterior sobre o Tema de Arte digital, que pode ser encontra aqui, trago a segunda parte destes trabalhos artísticos digitais.
Aqui estão reunidas mais fotos, desenhos tudo criado pelas mãos dos designers da fotografia, da arte digital.
Agora vamos às fotos:




















Arte digital, o poder da criatividade, part I


A beleza da Internet
O photoshop vem sendo cada vez mais discutido e debatido, usa-se cada vez mais photoshop em modelos, artistas. E as pessoas não se dão conta que ele não é utilizado apenas para retoque, ele também é utilizado como arte, e uma das mais belas e ricas por sinal.
Uma nova arte surgiu com o mundo da internet, a arte digital, você  com certeza já viu trabalhos, obras e nem se deu conta disso. Mas muitos podem se perguntar, mas então qualquer um pode ser um artista? Uma vez que o photoshop, Corel Draw, 3D Studio Max, Fractal Design são programas de relativa facilidade em se encontrar, porém não é qualquer trabalho que se faça com eles que pode ser considerado um obra, arte digital.
Atualmente muitos festivais pelo mundo relacionados à arte digital, a internet, já premiam os melhores, como o AnimaMundi o File e também o Itaú Cultural, isso apenas citando os festivais que vem ganhando destaque no Brasil e divulgando essa arte tão bela e admirável.
Dividida em muitas categorias como desenho digital, edição de foto, modelagem 3D, pintura digital e holografias podemos encontrar as mais variados e belíssimos trabalhos.
Neste e no próximo post trago alguns destes trabalhos, mas de forma geral, sem ser específico em uma das categorias, pelos próximos irei trazer obras das categorias individuais.

Desde já agradeço por sua colaboração ao visitar meu blog
















Este é um dos sites em que pesquisei:


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe seu comentário pelo Facebook