Sigam o blog

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Amazonas, Mulheres Guerreiras e Idealizadoras


Mulheres Guerreiras

Ao longo da história vemos o poder da mulher ser sufocado por todo o machismo que reina por mais de dois mil anos em nosso cultura ocidental e oriental. Os machos em sua busca insana de poder acabaram levando o poder feminino a extinção. Hoje em dia, felizmente, elas estão recuperando aos poucos uma mera ilusão da verdadeira força da mulher.
A Princesa Guerreira

Ao longo da linha temporal da sociedade humana não coube aos homens a monarquia ou a arte da guerra, na maioria das culturas primordiais. O poder da mulher era tão vasto que é praticamente inimaginável nos dias de hoje com nossa sociedade machista, não só pelos homens, como também pelas próprias mulheres que se tornaram machistas, de se imaginar.

A psique feminina atual é quase incompatível com a psique feminina de 5000 anos atrás. O maior exemplo da força feminina são as Amazonas.
Ao contrário do que se imagina as guerreiras não são meramente mitológicas, elas realmente existiram.

“Escavações arqueológicas 
confirmam a descoberta de fósseis de mulheres armadas para a guerra nas planícies junto ao Mar Negro. Nas 150 tumbas do século 5° aC encontradas em 1996 nas estepes do sudeste da Rússia, perto de Pokrovka, encontram-se enterradas guerreiras com armamento militar. Na Turquia, a mesma coisa, com a primeira identificação anatômica. Na Grécia, "o" maior herói nacional é rainha amazona que venceu o Império Islâmico.”

Isto é apenas um resumo do mundo mediterrâneo e asiático coroado pelas mulheres. Num período rústico e de sobrevivência difícil muitos se perguntam como mulheres poderiam envergar armaduras de ferro e armas tão pesadas. Essas mulheres viveram no período chamado de Era de Bronze, onde a manufatura destas armas eram mais leves, permitindo um manuseio eficiente pelas mulheres. Além disso elas eram treinadas desde a infância na arte da guerra e da aniquilação. Com um intenso treinamento militar seus corpos se 
adaptaram ao uso de instrumento pesados, além do fato de as Amazonas escolherem os mais altos e fortes homens para gerar seus filhos,a chamada eugenia (seleção genética), tornando estas mulheres superiores em força e habilidade aos povos gregos. Por serem originalmente caucasianas, que eram em média de 1,80 a 2,20m de altura, se comparadas aos homens gregos que eram bem mais baixos (1,60m em média), além de serem muito brancas, olhos claros e cabelos loiros, aos gregos pareciam povos mitológicos, quase outra raça.
Com os avanços do patriarcalismo micênico, as guerras pela liberdade da mulher travaram-se de forma intensa e retumbante.
Para os povos patriarcais estas mulheres representavam tudo o que uma mulher não deveria ser, pois uma mulher deve ser submissa ao homem, ficar em casa, cuidar dos filhos. Os movimentos para sufocar as mulheres deu-se inicio, e a partir daí não parou mais.
“Daí por diante, o dilema do Ocidente seria a posição das mulheres na sociedade, abafando revoltas. Por rejeitarem a família patriarcal, a reação de muitas delas foi se tornarem cada vez mais competitivas até superarem os homens em tudo – principalmente pela força. O resultado foi o surgimento de uma tribo imensa de superfeministas vivendo numa sociedade inteiramente à parte na Grécia.

Já não eram mais bárbaras primitivas sem língua escrita, mas sim bem organizadas em cidades-Estado espalhadas pelo Mediterrâneo e vindas de colônias gregas. Elas tiveram vários reinos, governando as cidades em volta de 'gente comum' dando-lhes proteção, e os 5 maiores foram: em Creta, na Trácia (Grécia), na ilha de Lemnos (no Mar Egeu), no Cáucaso (junto ao Mar Negro), e em sua maior cidade-Estado: Themiscira, banhada pelo rio Térmidon (no Helesponto, Capadócia, Ásia Menor).


Isso afrontou todos os costumes. Ao invadirem Creta, os patriarcalistas não faziam idéia da enormidade das consequências que desencadearam. Eles abriram a caixa de Pandora. Logo vieram os rumores da tribo de enormes mulheres guerreiras numa sociedade inteiramente militarizada. A estadista original que formulou os conceitos dessa sociedade única foi a rainha Hipólita, líder militar carismática que inspirou gerações de moças em todas as nações do Mediterrâneo, européias, africanas ou asiáticas, brancas ou negras, a abandonarem "o mundo do patriarcado" e se juntarem ás suas fileiras. Não admira o choque que elas causaram, mas os que mais se escandalizaram foram os gregos.”

A luta estava armada, para livrarem-se do sufocamento masculino as mulheres se uniram sob uma única bandeira de salvação de sua igualdade. Usavam o machado de dois gumes, arma criada por elas, representando a igualdade, e também em algumas tribos fizeram alterações no próprio corpo, como por exemplo a mastectomia (retirada de um dos seios) para adequar as armas ao corpo de forma a ser mais fácil o manuseio das armas. Se essas mulheres eram capazes de retirar um de seus seios imaginem o que não eram capazes de fazer?
Estátua de Maroula

Sua destreza militar era tamanha que seus exércitos massacram grande impérios da época, como Tróia, até mesmo o Império Otomano, através da rainha amazona Maroula, a maior heroína grega.
“Elas enlouqueciam os homens gregos, inspirando-lhes sentimentos contraditórios de raiva, admiração, medo, inveja e desejo. Rivais insuperáveis, adversárias imbatíveis e fêmeas inconquistáveis, só lhes restava imaginar fantasias. E esse desejo frustrado de conquista era desabafado na mitologia. Com um ou outro grande herói grego vencendo e desposando uma Amazona, mesmo temporariamente, a fantasia coletiva dos gregos era irreprimível. Mesmo Aquiles se apaixonou perdidamente pela rainha Pentesiléia, "de beleza tão divina mesmo após a morte" que ele até matou um companheiro grego que tentou maltratar o corpo dela. Os atenienses nos cemitérios militares faziam grandes homenagens póstumas nos túmulos das suas adoradas inimigas.”
Aquiles e Pentesiléia

Os vestígios das amazonas são encontrados inclusive no Brasil, um exemplo é a origem do nome do rio Amazonas, os homens brancos ficaram assustados ao verem mulheres cavalgando animais selvagens com a mesmo destreza dos cavaleiros, por isso deram o nome ao rio de Rio Amazonas. E também na cultura indígena Xingu, onde uma vez por ano, no ritual em honra a deusa-Mãe Natureza, as mulheres surram os homens, todos, sem exceção, inclusive o Page.

Este foi um pequeno resumo sobre as Amazonas. Caso queira saber mais passe neste site: http://neocodex.vilabol.uol.com.br/ernestoribeiro/amazonas01.htm
Onde fiz a pesquisa e também retirei alguns trechos

5 comentários:

  1. Nossa, muito boa essa história sobre as amazonas, faz renascer em cada uma de nós mulheres a força que foi perdida ao longo de tempo por causa do patriarcalismo.

    Se as mulheres de hoje em dia tivesse pleo menso a metade da força principalmente psicológica que essas mulheres tinham, o mundo seria melhor para as mulheres e pra todos, porque eu acho que a principal culpada do machismo se estender até os dias de hoje são as próprias mulheres que não fazem questão de sair da situação de submissa ao homem, tendo elas mesmo o sentimento de machismo dentro de si.

    Mas eu tenho esperança de isso mude um dia, quem sabe um dia, nós mulheres recuperaremos a força feminina que foi esquecida e deixada de lado ao longo do tempo. Com certeza a história das amazonas é algo que nos impulsiona muito para ver um dia a mulher voltar a ter o valor que merece.

    Muito bom seu blog e as imagens que você postou para ilustrar esse tema também são muito bonitas.

    ResponderExcluir
  2. Adorei!!!!!
    Não sei se te importas mas eu tirei uma coisas para o meu blog mas pus que a fonte tinha sido do teu blog
    Adorei!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. nossa mt bom...
    mas eu queria saber se entre essas guerreiras tinha uma chamada naante???

    ResponderExcluir
  4. Deveriam fazer um filme sobre as amazonas.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim, por favor deixe a sua opinião aqui.
Eu peço apenas que não utilizem palavras de baixo calão ou xingamentos, não modero os comentários, porém caso sejam apenas de ofensas serão excluídos, críticas serão sempre bem vindas.
Desde já muito obrigado,
Pallas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe seu comentário pelo Facebook